Minha história com o Quilling

Algumas histórias começam antes do que a gente imagina. E a minha com o Quilling começa muito tempo antes da confecção dos quadros. Tudo começou quando vi um trabalho publicitário na agência em que eu freelava, utilizando essa técnica e resolvi pesquisar a respeito. Não sei bem ao certo quando, mas foi assim que tive meu primeiro contato com o trabalho de Sena Runa e Sabeena Karnik.

Lá em 2018 resolvi comprar o livro “Quilling Art” da Sena Runa e um kit de ferramentas  👆🏻 (nas fotos) foi o ponto de partida. Aprendi  muito com YouTube, com  Denise Dick , acompanhando trabalho inúmeras outras artesãs e agora, recentemente, estou aprimorando a técnica no curso da Mohana.

Como toda essa vivência na pandemia me colocou mais em contato com a técnica, estava compartilhando o que tenho produzido no Instagram , então resolvi falar mais sobre esse assunto por aqui, pois esse mundo tem trazido muita cor e alegria aos meus dias 🌈 .

No Quilling, não é preciso muito material para começar: uma pinça, agulhão, esteca para quilling, tesoura, cola são suficientes e, é claro, os papéis.

O mais importante é a paciência e prática diária. Isso fará toda a diferença na evolução do trabalho, porque desenvolver uma identidade própria leva tempo.

As técnicas nos ajudam a compreender as formas básicas e a melhorar o acabamento, por exemplo. Mas um lembrete nesse caminho é o de sempre desfrutar do processo . Aqui, nesse link  Arte em Papel, vocês poderão conhecer melhor o meu trabalho com essa técnica.


O que é Quilling?

Quilling é uma técnica atribuída à arte em papel feita de tiras enroladas e moldadas em diferentes cores, gramaturas e formatos. Um trabalho artesanal que exige tempo, criatividade, delicadeza e paciência para confecção de quadros decorativos, porta maternidade, cartões, girlandas, entre outros.

É difícil dizer exatamente sua origem, pois essa técnica já foi utilizada em países da Europa na Idade Média, Renascimento e até mesmo no Japão, sendo também também conhecida pelo nome de Filigrana. Desde seu surgimento até os dias atuais vem sido aprimorada e sido bastante difundida por artistas da Espanha, Índia, EUA e se popularizando, recentemente, aqui no Brasil.

Postado por Juliane

30 e poucos anos | Publicitária | Apaixonada por marketing digital, fotografia, culinária, quilling, novas culturas e lugares.

Deixe um comentário

Campos Obrigatórios *.