3 motivos para você assistir A Discovery Of Witches

Ai que emoção! Começando a categoria de séries aqui no blog com esse lançamento maravilhoso. E olha que a série nem chegou aos espectadores brasileiros ainda, mas já trago 3 bons motivos para você assisti-la.

“Algumas pessoas ainda acreditam em bruxas, que a magia é real”

1) É BASEADA NUMA TRILOGIA DE SUCESSO

A Discovery of Witches ( A Descoberta das Bruxas) é uma adaptação da primeira parte de uma trilogia de livros de Deborah Harkness, chamada “A Trilogia das Almas” – A Descoberta das Bruxas, Sombra da Noite, O Livro da Vida .

O primeiro livro alcançou na semana de lançamento (em 2011) o segundo lugar na lista dos mais vendidos do The New York Times, permanecendo ali por 8 semanas e já foi traduzido para 36 idiomas! Ou seja, tá esperando o que pra começar a ler?!

Matthew Goode, Deborah Harkness, Teresa Palmer

A história

Bruxas, Vampiros e Demônios vivem entre os humanos, vivem entre humanos quase desapercebidos e a magia enfraquece ao longo dos séculos.

Diana Bishop (estrelada por Teresa Palmer) é descendente de uma longa e distinta linhagem de bruxas que remetem às de Salem, mas suprimiu a magia em seu sangue por muito tempo até encontrar “acidentalmente” durante sua pesquisa acadêmica em Oxford, o cobiçado Ashmole 782, um manuscrito tido como perdido e importante para as criaturas mágicas, pois pode trazer revelações sobre suas origens e (quem sabe) seu futuro.

O contato com o livro leva Diana ao encontro de seu passado, a morte de seus pais e a faz entrar em contato com a magia para garantir sua própria sobrevivência.

Devido ao Ashmole 782 o destino dela e de Matthew de Clairmont, um vampiro de 1500 anos de idade, se cruzam. Essa aproximação não é mero acaso e vai abalar a ordem que estabelecem uma convivência frágil, mas pacífica entre bruxos, vampiros e demônios já que há um pacto que proíbe o relacionamento entre “espécies”.

2) PRODUÇÃO DE QUALIDADE

Mistério, fantasia e romance são a combinação intensa da trama e deixam o público na expectativa do próximo episódio. Além disso, a produção é muito cuidadosa com a fotografia, as locações (Reino Unido, Veneza) e também nos efeitos especiais.

Tudo é lindo e bem pensado.

Teresa Palmer e Matthew Goode formam um belo par romântico e a química do casal é indiscutível.


O elenco parece que foi escolhido a dedo e cada arco vai ganhando sua importância no desenvolvimento da série.

Isso gera uma expectativa bem grande do público, que já estava esperando por uma adaptação do livro e também abre margem para que possam explorar muito mais no roteiro, visto que séries são obras abertas e que podem sofrer alterações e mudanças devido audiência, roteiristas, orçamento, entre outros.

Vou falar de alguns exemplos: em Outlander vemos um cuidado muito grande da produção em manter a essência do livro na série e é possível manter um paralelo entre ambas as obras. Eu mesma acompanho resenhas comparativas, já que ainda não dei início aos livros. Outras, como The Vampire Diaries se inspirou na série de livros, mas traçaram novos caminhos. Inclusive, os “Originais” ganharam até sua própria série.

Espero que a série evolua nesse sentido e garantam muito mais para nós, pois esse começo é bem promissor.

Já li que alguns compararam a série como algo entre Crepúsculo (adolescente) e True Blood (adulto) ou entre Crepúsculo e Possessão de A.S Byatt. Eu até entendo o segundo comparativo, primeiro pelo óbvio, que são as criaturas e o segundo pelo teor poético, adulto, de amor proibido em que o encontro dos dois soa como predestinação.

O fato é que bruxos, vampiros e demônios ficaram um pouco desgastados depois do sucesso de Crepúsculo e uma série de produções que vieram a seguir. Agora, ao que parece, ganha fôlego e pode trazer boas surpresas.

FOI RENOVADA

Nada é mais frustrante pra um entusiasmado do que começar uma série com a incerteza de sua continuidade. Com apenas 8 episódios na primeira temporada, o canal britânico Sky One já deu uma boa notícia logo no season finale, informando sua renovação por mais duas temporadas. Inclusive, a grande audiência da produção, se tornando o programa de maior audiência no Sky (Sky One) no Reino Unido.

Bom, a série volta só ano que vem e eu já estou me preparando para comprar os livros e segurar a expectativa até lá!

Deixe uma resposta

Campos Obrigatórios *.